Saber mexer nas ferramentas não é ser especialista em marketing digital

04 de julho de 2016

Certa vez, estava discutindo com o Cássio Aguiar se “o sobrinho” não estava tomando o nosso espaço no mercado. Quando digo “tomar espaço”, quero dizer, tomando conta. Enquanto ele dizia que não, eu insistia que sim. Eis que chega o sócio-diretor da ODIG Digital Marketing Experts, Cezar Gehm Filho, e encerra a discussão: “Saber mexer nas ferramentas não é ser especialista em marketing digital!”

especialista em marketing digital

Voltamos ao trabalho (afinal, o chefe chegou), mas eu não tirei isso da cabeça. Estamos numa época quando as tecnologias estão por todas as partes e em tudo o que fazemos, algo que teóricos como o professor Eugênio Trivinho chamam de Dromocracia Cibercultural. Nós, leigos, podemos chamar de saturação tecnológica.

É essa presença massiva da tecnologia que cria o fenômeno dos “sobrinhos” que sabem mexer em tudo, afinal, eles crescem numa época em que ficou para trás ter ou não ter celular. O importante hoje é saber quantos são núcleos do processador e quantos megapixels tem a câmera do smartphone.

Ainda assim, o Cássio, que é meu parceiro de conteúdo aqui da ODIG, defendeu seu ponto de vista, que é bem próximo do que o Cezar disse durante a discussão. Para eles, não adianta saber usar a chave de fenda, tem que saber onde usá-la. Dominar as ferramentas é importante, mas é algo que se ganha com o uso. Já dominar os conceitos de marketing, muitos deles aplicáveis ao digital, é algo que demanda tempo e dedicação. Muito estudo e análise.

Qualquer um pode fazer, mesmo sem ser especialista em marketing digital?

Qualquer um pode pegar um bisturi e tentar fazer uma cirurgia. Qualquer um pode fuçar no motor e tentar arrumar o carro. Assim como esses dois exemplos, qualquer um pode fazer marketing digital.

Respeitamos o médico e o mecânico porque sabemos que não temos o conhecimento necessário para substituí-los. O mesmo deveria valer para o marketing digital. Não é para qualquer um. Só que não é isso que acontece, não é mesmo?

Muitas vezes, vemos empresários que fazem orçamento conosco e depois declinam, optando por uma solução caseira. Normalmente, é o estagiário que “sabe mexer em Photoshop”, “gosta de escrever” e “entende tudo de Facebook”. Ou o sobrinho, filho, irmão mais novo etc.

E qual o problema nisso? A visão de que marketing digital é só post no Facebook, texto no blog ou sitezinho bonito. Não, não é. O Cássio até tentou explicar em um texto voltado às redes sociais, sua área de maior conhecimento. Se ficar difícil entender, o gif a seguir ilustra bem isso:

especialista em marketing digital

Por que o sobrinho não pode fazer marketing digital?

O trabalho de marketing digital exige estratégia, planejamento, conceito e objetivo. Não é simplesmente postar imagens lindas no Facebook ou textos bem escritos no site, sem qualquer conexão ou objetivo. Pode até gerar umas curtidas, mas serão meras métricas de vaidade. Sim, aquelas curtidas ou compartilhamento, se não te trazem resultados concretos, são vazias, INÚTEIS.

Será que o sobrinho entende que antes de postar qualquer coisa ou disparar um e-mail, existe uma análise por trás, para avaliar riscos e oportunidades por trás de cada ação? Será que tem a experiência, visão de negócio e capacidade de prever e resolver problemas?

Essa é a diferença entre contar com os serviços de alguém que apenas sabe mexer nas ferramentas ou contratar um especialista em marketing digital: enquanto um vai se ater a fazer um post que gere muitas curtidas o outro estará debruçado em fazer aquele post trazer resultados concretos, conforme o que foi traçado na estratégia.

Capacidade de resolver problemas

Saber usar as ferramentas não significa saber resolver os problemas de marketing digital. Um exemplo recente nos mostrou como soluções caseiras podem dar errado: o caso do Quitandinha Bar, no qual uma frequentadora alegou ter sido assediada dentro do estabelecimento e a resposta oficial do local foi uma sucessão de desastres que resultou em uma crise gravíssima e de repercussão nacional.

Essa capacidade de gerenciar crises e se antecipar aos problemas é o motivo pelo qual os empresários de sucesso buscam especialistas em marketing digital para cuidar de suas demandas. Eles sabem que, apesar do custo do “sobrinho” ser menor, se estourar uma crise, os prejuízos podem ser enormes. E isso vale para uma resposta mal calculada nas redes sociais, para um vídeo que desperte controvérsia ou qualquer tipo de ação no marketing digital que são seja pensada e planejada.

Lembre-se que o trabalho de marketing digital exige:

  • Estratégia;
  • Conceito;
  • Planejamento;
  • Objetivo.

E você, tem alguma experiência negativa ao delegar essa parte tão importante da sua empresa para o “sobrinho”? Compartilhe com a gente nos comentários.

Autor Flavio em ODIG Digital Marketing Experts
Flavio Barboni

Jornalista, graduado pela Universidade Anhembi Morumbi (SP) e com experiência em redações, produção de conteúdo e em comunicação corporativa.

Faça seu comentário aqui: