Reflexão: reinvente sua empresa de TI com marketing digital

01 de outubro de 2016
Empresa de TI com marketing digital

Se existe um segmento de mercado que nasceu com a OBRIGAÇÃO de ser inovador é o da Tecnologia da Informação. Isso não é fácil, principalmente para empreendimentos mais antigos e já consolidados, mas saiba que é possível reinventar sua empresa de TI com marketing digital, trazendo algo novo para os clientes atuais e para os futuros.

Mesmo com a crise econômica e política do Brasil, o mercado de Tecnologia da Informação deve continuar crescendo. Apesar de um leve recuo em 2015, a Gartner prevê um crescimento de 5,6% já para esse ano.

E o que pode significar oportunidades também ilustra o crescimento da competitividade e, nesse cenário, como fazer para reinventar sua empresa de TI com marketing digital?

Os dois primeiros textos são para uma reflexão rápida. O objetivo é fazer você se perguntar: “qual é a posição da minha empresa agora e no futuro”.

Depois, você vai conhecer ferramentas de marketing digital para melhorar o posicionamento de sua empresa de TI no mercado.

Porque um CRM para TI é um potente aliado para vender mais e melhor?

Pensar fora da caixa

Existem coisas que de tanto serem ditas, acabam no completo desgaste. “Pensar fora da caixa” é uma dessas coisas, principalmente porque muita gente fala disso, mas poucos realmente oferecem um caminho para sair da tal caixa.

Pensar fora da caixa é entender que há muita coisa acontecendo muito além do escritório. Há um mundo de Ubers que revolucionam os serviços de táxi, outro de AirBNB que causam dores de cabeça aos empresários de hotelaria, aquele YouTube que está tomando a audiência da TV, entre outros.

Buscar informação constantemente, experimentar, testar, conversar, perguntar aos outros (inclusive funcionários) sobre o que acham dos serviços e de sua empresa. Tudo isso ajuda a sair da caixa.

O economista austro-americano Joseph Schumpeter chamava isso de “destruição criativa”, que define o papel crucial da inovação na economia, ao destruir modelos de negócio consagrados e empresas tradicionais em detrimento de produtos e serviços inovadores (Uber, AirBNB…).

Conhecer sua empresa e funcionários

Pensar fora da caixa também envolve conhecer bem o papel de sua empresa, qual é sua excelência e os talentos de cada funcionário. Só assim é possível administrar as diferentes habilidades para compor produtos e serviços inovadores.

Como Thomas Edison disse (e Schumpeter concordava): a genialidade é fruto de 1% de inspiração e 99% transpiração.

Não é preciso ter funcionários ultra-criativos e nem ser uma encarnação de Steve Jobs. O essencial para produzir inovação é ter foco na solução de problemas e o dia a dia vai revelar como resolvê-los em lampejos!

Avaliar concorrentes de segmentos diferentes

Isso nos leva à próxima etapa, que é a avaliação dos concorrentes. E se você entende como concorrência aquele desenvolvedor de software da mesma cidade ou a empresa de suporte que fica no mesmo prédio que o seu…

Muitas reticências…

Certa vez em uma entrevista, os criadores do Instagram Mike Krieger (brasileiro!) e Kevin Systrom disseram considerar como concorrentes as empresas de mídia. Por que? Porque o Instagram, muito além de ser o álbum de fotos da internet, é uma plataforma de informação, marketing digital e jornalismo, assim como aquele jornal que você lê todos os dias.

Com escolas informatizadas, uma geração instruída e até aulas de programação na grade curricular (caso do projeto Nave no RJ), a atividade de TI pode ter num futuro próximo o cidadão comum, formado em outras profissionais, mas conhecedor o suficiente para resolver suas demandas básicas por tecnologia da informação como parte da rotina.

Para os desenvolvedores de software acomodados, o presente já é “ameaçador”, pois cresce no mercado a tendência das plataformas para desenvolvimento de aplicativos, como o uMov.me. Neles, é possível utilizar templates e presets para criar aplicativos que atendam perfeitamente ao fit do negócio.

Empresas disruptivas se mantém fortes ao interpretar corretamente quem é sua concorrência. O exemplo célebre é a Coca-Cola, cujo maior concorrente é ÁGUA! Sim: se alguém mata sua sede com água, a gigante perde a chance de vender um refrigerante.

Parece óbvio, mas muita gente nunca pensou nisso.

Use o marketing digital para conhecer as necessidades de seu público

Além de ajudar na divulgação da sua empresa, o marketing digital oferece ferramentas para você conhecer melhor seus clientes e as necessidades de seu público.

Um bom exemplo é o Inbound Marketing, que por meio de sua estratégia de ganhar informação dos leads de forma gradual, vai revelando mais sobre o cliente, suas necessidades e anseios.

As informações sobre o cliente permitem a construção de uma jornada de compra (clique aqui para saber mais) cada vez mais precisa e antenada ao público.

Se seu público de serviços de TI busca suporte, a jornada de compra deve estar em constante aperfeiçoamento para as necessidades deles: quais problemas enfrentam, quais os desafios, o que esperam de um serviço de suporte. E por aí vai, conforme a área de atuação de sua empresa.

Automação de Marketing

A automação de marketing é parte importantíssima do processo, pois contribui para a otimização da distribuição de ações, triagem de leads e oportunidades, além de economizar tempo e recursos no trabalho de marketing.

Para executar a automação é preciso ter um planejamento consolidado, com estratégias bem definidas para o marketing. Também é necessária a adoção de uma ferramenta específica, como explicamos no post sobre automação de marketing.

Oportunidades no Google

Sempre dizemos por aqui que o Google é sinônimo de internet e, por isso, oferece muito espaço para negócios em busca de visibilidade, mesmo para o “aparentemente saturado” mercado de empresas de TI.

Duas formas de atuação no Google são consolidadas: SEO e Adwords.

SEO no Google

Mas o que é SEO? É a otimização em motores de busca, agrupa conhecimentos técnicos para melhorar o posicionamento de um site em específico nas buscas do Google e de outros buscadores, como Bing e Yahoo.

A regra geral é que o conteúdo mais relevante para os usuários são os que aparecem primeiro.

Por isso, na hora de produzir conteúdo é crucial conhecer o algorítmo e os mecanismos que fazem o Google posicionar bem uma página, pois quanto melhor posicionada, mais será visualizada. Se o conteúdo for bom, a relevância será certeira!

Google Adwords

Já o Adwords é constituído pelos populares anúncios pagos. Como funciona? A empresa cria um anúncio a partir das palavras-chaves que quer atingir e estabelece valores mínimos e máximos para o custo desses anúncios.

Um sistema de leilão vai contrapor todos os anunciantes de determinada palavra-chave, exibindo apenas alguns deles.

Mas não pense que o valor é o único determinante. Na verdade, é comum que o Adwords estabeleça como anúncio mais importante um que tenha custo bem menor que seus concorrentes.

O peso maior é para a relevância do anúncio e da página para a qual ele direciona o usuário. Por isso, sua empresa de TI deve preparar uma página específica para o anúncio que está oferecendo: se é serviço de suporte e manutenção, a landing page precisa falar sobre isso.

Vídeos no YouTube

A possibilidade que mais enche os olhos atualmente são os vídeos do YouTube. Totalmente integrada ao Google, a plataforma de vídeos é o segundo maior buscador do mundo, atrás apenas de adivinha-quem!

Porém, exige muito tempo, técnica para a produção dos vídeos e encontrar um nicho com espaço para crescer, pois há material sobre literalmente qualquer assunto no YouTube, mas a minoria tem qualidade e relevância.

Autor Flavio em ODIG Digital Marketing Experts
Flavio Barboni

Jornalista, graduado pela Universidade Anhembi Morumbi (SP) e com experiência em redações, produção de conteúdo e em comunicação corporativa.

Faça seu comentário aqui: