Por que devo me preocupar com o algoritmo do Facebook?

29 de junho de 2016

Que o Facebook é o “maior país do mundo” ninguém dúvida. É um bilhão e meio de usuários conectados e participando ativamente todo o mês na rede social. No Brasil, cerca de 80% dos internautas possuem conta por lá. Mas nem só de pessoas o Facebook vive, as páginas empresariais estão muito presentes, e temos algo que possivelmente interesse você: a rede social está, aos poucos, diminuindo o alcance de suas publicações.

Leia também:

>> Guia Definitivo de Marketing – 29 estratégias para vender mais

>> Por que sua empresa precisa fazer marketing no Facebook?

Não é de hoje que o alcance das páginas no Facebook vem diminuindo. No início de 2016 a rede social já apresentou uma atualização em seu algoritmo, o que causou diminuição nas publicações de links das páginas e aumento no engajamento com vídeos nativos, principalmente os ao vivo.

Mesmo com o lançamento recente do Instant Articles, o Facebook não tem agradado os publishers de páginas e negócios. Ainda que prometendo um aumento considerável no engajamento das publicações, a ferramenta custa a convencer e atrair novos usuários, principalmente pelas dificuldades e empecilhos técnicos enfrentados na hora de sua instalação.

A Social Flow Media disponibilizou um gráfico que mostra as variações e recente queda de alcance das páginas de meios de comunicação no Facebook, auditadas no período de maio de 2015 a maio de 2016.

 

Fonte: Social Flow Media

Fonte: Social Flow Media

É visível a oscilação de alcance no período, principalmente seu decréscimo a partir de janeiro. As mudanças ocorridas em fevereiro diminuíram cerca de 42%, em média, o alcance das contas analisadas.

Uma nova atualização do algoritmo do Facebook: foco nas pessoas

Uma nova atualização do algoritmo foi anunciada hoje, 29 de junho de 2016, onde a regra geral é clara: serão priorizados conteúdos compartilhados pelos amigos e familiares, ou seja, o conteúdo de páginas sofrerá mais uma vez uma diminuição de alcance. O vice-presidente de produto do Facebook, Adam Mosseri, em entrevista ao G1, explicou a mudança:

“No contexto em que vemos que outros usuários [páginas de marcas e personalidades] estão publicando cada vez mais no Facebook, queremos assegurar que amigos e familiares ainda são a peça chave da experiência. […] Nós sabemos que as pessoas vêm ao Facebook para se divertir, para ver um vídeo engraçado, para rir de algo”

Este novo posicionamento da rede social pode ligar o sinal de alerta para seu negócio ou empresa que se posiciona no Facebook e nós temos duas dicas que podem amenizar a queda do alcance em sua fanpage:

  1. Não tenha toda sua base no Facebook, faça um site para ser sua casa. Por mais que o Facebook queira ser a nova internet, você deve trata-lo como um ambiente de relacionamento com seus usuários, mas o conteúdo principal que produz deve estar em seu site, ambiente que você tem pleno acesso e controle sobre a administração do conteúdo. Se possível, crie listas de e-mails convertendo possíveis clientes em leads. O Inbound Marketing é o mais indicado para o caso.
  2. Produza conteúdo de qualidade, dentro de um contexto adequado para seu público. Parece fácil, mas esta etapa é bem difícil e necessita de um profissional capacitado para executa-la. Entender o público e direcionar aquilo que ele realmente quer consumir. Assim o engajamento de sua página tende a aumentar e você não vai sofrer a queda de alcance disposta recentemente.

Pronto, com essas duas dicas você já pode aliviar os problemas que a diminuição de alcance do Facebook pode trazer ao seu negócio. Se quer entender mais como o algoritmo funciona e quais outras alternativas para o problema da queda de alcance, comente abaixo. Vamos adorar trocar ideias com você. Se preferir, pode entrar em contato através do e-mail cassio@odig.net. Até o próximo post.

Autor Cássio em ODIG Digital Marketing Experts
Cássio Aguiar

Cássio atua como responsável pela área Atendimento e Performance na ODIG e também é CEO e editor-chefe da Revista TrendR, primeira publicação brasileira no @Medium.

Faça seu comentário aqui: